SOCIOLOGIA EM CONSTRUÇÃO ARTESANAL / ANO 13

América do Sul, Brasil,

segunda-feira, 5 de abril de 2021

Soprando no vento

 Bernardo Caprara
Sociólogo e Professor

Há quase 12 anos, todas as semanas eu convivo com dezenas de jovens estudantes. Para o bem e para o mal, sinto com eles a passagem do tempo e as mudanças que a acompanham.
 
Entre a vida, os textos, as aulas e as conversas, estamos todos sempre cheios de respostas. Só que, na real, elas se misturam a inseguranças, alegrias, angústias, avaliações, ambições e desejos dos mais variados.
 
A métrica das respostas depende da aprovação de alguém, seja do professor ou das redes sociais. O tempo acelerou e a cada minuto pode disparar nosso coração com mais um coração virtual, numa trama que de tão intensa, um tanto vazia se revela.
 
Sobram perguntas. Quantas estradas tantos terão que andar para se sentirem alguém? Quantas balas irão matar até que as balas morram? Quantas mortes irão ocorrer até que se entenda que morreram pessoas demais? As respostas, amigo Dylan, estão soprando no vento.