ABORDAGEM ARTESANAL, CRÍTICA E PLURAL / ANO 13

América do Sul, Brasil,

quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

Liberdade em 2020

Bernardo Caprara
Sociólogo e Professor

Nesse ano, algumas vezes pensei, como Cecília Meireles: liberdade é uma palavra que o sonho humano alimenta, não há ninguém que explique e ninguém que não entenda.

Noutras vezes, questionei parte da filosofia política moderna. Indaguei se a liberdade seria um direito natural e como os governos deveriam, no mínimo, proteger esse direito dos seus cidadãos. De todos os que estão vivos.

Vira e mexe, sinto a sabedoria popular gritar com força: a tua liberdade acaba quando começa a do outro. Nesse caldo, como nunca, lembrei muitas vezes que uma ação minha pode determinar a saúde de outras pessoas.

Viver é oscilar entre o peso e a leveza da existência. Enquanto se naturaliza a morte e se banaliza a vida, escuto Maya Angelou: só é possível ser livre, se todos o forem. Pra 2021, vacina e punição para os genocidas seria um bom início.
.